Doença do Refluxo Gastroesofágico e Refluxo Faringo-laríngeo

O que é a Doença do Refluxo Gastroesofágico e Refluxo Faringo-laríngeo?

A doença do refluxo gastroesofágico, conhecida também, como refluxo simplesmente, caracteriza-se pelo retorno do conteúdo gástrico para o esôfago e adjacências. Sendo assim, o suco gástrico ácido e outras secreções presentes no trato gastrointestinal refluem do estômago para o esôfago (refluxo gastroesofágico) e do esôfago para as adjacências localizadas mais superiormente na via aerodigestiva, como o nariz, seios da face, a garganta e os ouvidos (refluxofaringolaríngeo ou refluxo para-esofágico). Devido à proximidade do esôfago com a laringe, faringe e fossas nasais, o refluxo gastroesofágico é capaz de gerar muitos sintomas otorrinolaringológicos. Toda a área atingida pelo refluxo pode sofrer reações inflamatórias que, em muitos casos, desencadeiam sintomas.

 

Quais são os sintomas otorrinolaringológicos da doença do refluxo gastroesofágico?

Diversos sintomas podem ser atribuídos ao refluxo. Dentre eles, o mais frequente é o globus faríngeo, ou ”sensação de bola na garganta”. Outros sintomas, menos específicos para esta doença, também são bastante encontrados, como tosse seca crônica, rouquidão, alterações nos ouvidos e pigarro.

 

Como se faz o diagnóstico do refluxo faringo-laríngeo?

O refluxo, em geral, está relacionado a um edema da região laríngea secundário ao processo inflamatório. A constatação de tal problema pode ser feita pela nasofibroscopia que possibilita a visibilização das estruturas laríngeas por meio de uma câmara acoplada a uma fibra óptica.

 

Como é feita a nasofibroscopia?

Após feita a anestesia tópica com um spray borrifado pelas narinas, o aparelho é introduzido pelo nariz e é cuidadosamente progredido até a altura da laringe. Neste momento, o médico pede ao paciente para que fale algumas palavras ou emita alguns sons enquanto avalia o aspecto da faringe e da laringe em funcionamento. Em geral, tal exame causa pouco desconforto e é bem tolerado pela maioria dos pacientes. O procedimento é bastante seguro e pode ser realizado em pacientes de todas as idades.

 

Só a nasofibroscopia já é suficiente para a avaliação do refluxo?

Maiores investigações com outros exames devem ser realizadas em pacientes com sintomas de refluxo que apresentem sinais de alerta que sugiram doenças mais graves do trato gastrointestinal e nos pacientes maiores de 40 anos. Esses casos, em geral, são acompanhados em conjunto pelo gastroenterologista e pelo otorrinolaringologista.

 

Como é feito o tratamento do refluxo?

O tratamento da doença do refluxo gastroesofágico inclui tanto medidas farmacológicas (com tomadas diárias de medicamentos por longo período) e, em alguns casos, cirúrgicas, quanto medidas dietéticas e comportamentais.

 

Quais são as recomendações dietéticas e comportamentais para quem tem refluxo?

Recomenda-se evitar alimentos que provoquem o refluxo, como chá preto, café, refrigerantes tipo cola, chocolates, gorduras e bebidas alcoólicas. O tabagismo também está relacionado aos sintomas e deve ser cessado. Deve-se também procurar fazer refeições leves e fracionadas ao longo do dia. Para evitar-se o refluxo noturno, medidas como evitar alimentos pesados durante a noite e esperar pelo menos 2 horas para se deitar após a última refeição também são efetivas. O uso de travesseiros inclinados anti-refluxo ou de calços nos pés superiores da cama, a fim de manter o tronco mais elevado durante o sono, são medidas igualmente adotadas.

Veja mais Orientações Clicando Aqui